Intercâmbio Unoesc › Depoimentos

Depoimentos

Confira a opinião e depoimentos de alunos que já fizeram intercâmbio:

  • Kethlin Carraro, do curso de Psicologia da Unoesc Pinhalzinho.

    Kethlin Carraro, do curso de Psicologia da Unoesc Pinhalzinho.

    Moçambique

    Moçambique é um destino encantador localizado no sul do continente africano, destaca-se na culinária (os meus preferidos) o Frango à Zambeziana, na Xima e Matapa, e não pode faltar o tradicional e muito consumido molho de piri piri; é marcante no quesito artes plásticas com as esculturas de pau-preto e artesanatos feitos com material que a natureza oferece; a literatura é representada por Mia Couto e Paulina Chiziane; sem contar nas praias maravilhosas do Rovuma ao Maputo banhadas pelo oceano Índico. O que mais marcou, foi a energia de suas festas e o calor nas suas envolventes e autenticas danças. Conhecer Moçambique e a vida que os moçambicanos levam é uma experiência única no mundo.
    Estar em outro continente é se dar conta da grandeza desse mundo e do potencial existente nas pessoas. Minha estadia em Moçambique foi de 5 meses onde fui acolhida pela comunidade acadêmica da Universidade Eduardo Mondlane (UEM). Por lá conheci muita gente e criei grandes amizades, e aprendi algo que faculdade nenhuma ensina: o valor da vida.
    Tive a felicidade, ao sair o edital de intercâmbio, de que um dos locais ofertados ser Moçambique, não hesitei em ter essa escolha e sinto que foi bem feita e não me arrependo por isso. Naquele momento, tive a necessidade de ver a vida por outras perspectivas e Moçambique me proporcionou isso, uma vida que aconteceu em poucos meses mas com uma intensidade imensurável. Não deixo de pontuar que nesse processo de aculturação, ao inserir-me numa nova dinâmica de vida foi-me muito dolorido, pois houve um rompimento de todas as verdades absolutas nas quais fui aprendendo desde pequena e já estavam enraizadas na minha estrutura psíquica não fazendo sentido nenhum rompe-las, até então. Quando me vi a mercê da minha própria existência é que me dei conta que tudo que havia de certeza eram incertezas, e elas permeavam entre o saber e o duvidoso. Isso me fez crescer enquanto pessoa.
    Com isso ganhei um novo jogo de cores para a minha aquarela, pintando novos sabores, novos amores e novos saberes. Foi então que pude constatar o quanto a existência das pessoas é importante e significativa, cada Ser é único e especial em sua forma de ser, com suas particularidades, sua forma de se relacionar com a vida, como se comportam e de uma maneira na qual julgam ser a melhor, e olhar por essa ótica é evoluir para a aceitação incondicional dos nossos semelhantes fazendo com que se rompam as barreiras do ódio e do rancor. Obrigada Moçambique!!! Até breve…